Receber a Cristo é viver uma realidade que O revele

Será que todas as vezes que comemos é porque temos fome, ou comemos porque queremos não sentir fome? Nós esfregamos o nariz porque ele coça, ou porque queremos que ele pare de coçar? Quando éramos pequenos, fazíamos nosso dever-de-casa porque queríamos vê-lo feito, ou porque queríamos não provocar a bronca dos nossos pais ou a reprimenda dos nossos professores?

O egoísmo faz com que cada uma das ações que o homem realiza só seja efetivada se for para satisfazer um anseio que lhe seja próprio. Desde o menor e mais insignificante ato consciente até àqueles que requerem uma tremenda quantidade de energia, todos são realizados por uma única razão: a existência de um desejo qualquer, que afeta o indivíduo o suficiente para que tome uma atitude a fim de satisfazê-lo. É a busca da auto-gratificação.

Somos totalmente controlados por nossos desejos. Não há homem, nascido segundo a natureza humana, que não tenha em si a semente da cobiça, do interesse pessoal – de colocar os seus desejos e a sua vontade acima de qualquer outro interesse. Toda essa geração humana é corrompida pela vaidade, pela sua cobiça e pelo seu individualismo. Não há ninguém que seja genuinamente bom. Ninguém que faça o bem, a não ser visando alguma vantagem, algum tipo de remuneração ou de reconhecimento que lhe traga satisfação pessoal.

Mas, graças a Deus, a promessa do Pai concernente à redenção do homem se cumpriu em Jesus, e nele não precisamos mais viver segundo a natureza humana, pois em Cristo somos novas criaturas – nascidas não segundo a carne, mas a partir do Espírito Santo.

Cristo é a luz de Deus, que, vindo ao mundo, mostra o sentido, a verdadeira natureza e o propósito de todas as coisas. Ele passa a ser o eixo central das nossas vidas, e é ao redor dele que gravitam todos os demais elementos. Tudo em nosso universo pessoal passa a ser organizado a partir da figura de Cristo, que se torna nosso referencial. Assim, podemos reorganizar nosso entendimento, passando a compartilhar uma visão de tem Cristo como parâmetro, modelo e ideal, pois reconhecemos nele o princípio e a finalidade de todas as coisas. Essa é a consciência que revela a identidade dos filhos de Deus (a Palavra de Deus diz que todos que o receberam e se harmonizam com a pessoa e com a centralidade de Cristo, receberam também a sua plenitude e podem ser verdadeiramente chamados de Filhos de Deus).

Contudo, muitas pessoas dizem que receberam a Jesus, que entregaram sua vida a ele e chamam a si mesmos de filhos de Deus sem que suas vidas passem a ser de fato norteados pela Palavra viva e encarnada em Cristo. Dizem que crêem em Cristo, mas são apenas simpatizantes do evangelho; pessoas que se mantém na expectativa do que Cristo pode fazer em favor delas, mas sem nenhum compromisso com o que elas podem revelar a respeito da Palavra de Cristo na vida dos outros. Gente que olha para Cristo com olhos de interesse; Querem os benefícios de Jesus, mas não a identidade de natureza e propósito de Cristo. Então, até acreditam que Jesus seja, de fato, o Cristo de Deus, mas nunca o receberam, pois não se tornaram verdadeiros seguidores da proposta de vida de Cristo.

A Bíblia nos mostra que muitas pessoas se beneficiaram dos milagres de Jesus sem ter a sua natureza e sua identidade transformadas, porque nunca acolheram a figura de Cristo como norte, a fim de dar um novo direcionamento à suas vidas. Eram apenas simpatizantes, que circundavam a Jesus na expectativa de auferir alguma vantagem. Eles partilharam a realidade de Jesus, mas não desfrutaram a Verdade a respeito de Cristo – o verbo que ordena todas as coisas segundo a vontade de Deus.

Que você não fique apenas esperando de Cristo aquilo que você acredita que ele pode fazer a seu favor, mas que você o receba como semente da vontade e do propósito de Deus na sua vida. Que sua realidade passe a ser ordenada e orientada por essa Palavra, de modo que Deus reconheça em você um de Seus filhos. A fim de que o Pai reconheça em você e em seu modo de viver elementos da Sua própria natureza e identidade, e diga a seu respeito: “Esse é meu filho amado, pois sua vida está ordenada segundo a palavra que Eu revelei ao seu coração – e não segundo seu egoísmo natural. Por isso, o Meu prazer está nele!”

Em testemunho da Verdade
--Danilo.

3 comentários:

Thaís disse...

Oi Danilo, a gente falou um pouco sobre isso no grupo segunda-feira retrasada né? Sempre que fazemos algo é por um desejo pessoal.
Ótima palavra. Beijão.

José Humberto N. Júnior disse...

Danilão...maravilha de palavra meu irmão!! Que possamos desvestir o velho homem e beber todos os dias da água viva.

Abração a todos aí do grupo,
J.H.Júnior

Amanda disse...

Trocou a foteenhaaa eu vi... kkkk

Benção este texto amor... Que Deus continue lhe dando muita sabedoria para você compartilhar com todos nós!

Amooo...

Bjão

Postar um comentário