Casamento e Felicidade


Certa vez ouvi uma curta ministração que marcou muito meu coração e me levou a meditar bastante. Durante algumas semanas me dediquei ao tema, comparando o que ouvi com textos bíblicos, buscando em Deus novas lições, revelações e conclusões, e hoje eu gostaria de falar sobre isso – sobre casamento.

O casamento é um privilégio. Em Pv 18, 22 lemos que “o que acha uma esposa acha o bem e alcançou a benevolência do SENHOR”. Há algo maravilhoso na união do homem e de sua mulher, pois se Deus optou por criar o homem “à Sua imagem, conforme a Sua semelhança” (Gn 1, 26), é por querer expressar algo da Sua própria identidade relacional através da nossa identidade.

A Palavra de Deus nos ensina que a gloriosa e perfeita unidade de Cristo com sua Igreja é a raiz espiritual que deu origem e é revelada no casamento, pois diz que Jesus é o noivo/marido (Ef 6, 31-32; Jo 3, 29; 2Co 11, 2), a Igreja é a noiva/esposa (Is 62, 5; Ap 21, 2) e a união de ambos é um casamento (Mt 22, 2; Mt 25, 1-13; Ap 19, 7). Assim, ao nos fazer homem e mulher, o SENHOR nos capacitou para espelhar a natureza da Sua relação conosco através da nossa relação com nosso cônjuge. Esse é o privilégio do casamento.
Mas o casamento é uma escolha. Deus nunca determinou que é proibido ao homem ficar solteiro. Disse apenas que “não é bom” que o homem estivesse só (Gn 2, 18), e o próprio apóstolo Paulo manifestava a natureza relacional da sua identidade em Deus diretamente com a Igreja, permanecendo solteiro (1Co 7, 7-9).

Ocorre que muitos homens e mulheres acreditam que o casamento é uma condição para alcançar o propósito de Deus para suas vidas: a felicidade plena. Estas pessoas, laborando em equívoco, tendem a depositar suas expectativas a cerca de Deus e da vida na imagem de um casamento que as façam felizes, e passam a fazer disso seu objetivo de vida. Estão sempre à procura da “tampa para a sua panela”: aquela pessoa que finalmente a fará se sentir completa e realizada. Satisfeita em suas necessidades e suprida em suas carências.

Precisamos compreender que nossa expectativa de felicidade não pode estar no casamento, ou em um cônjuge, mas no próprio Deus. O Sl 16, 11 diz: “Tu me farás ver a vereda da vida; na tua presença me encherás de alegria, com delícias perpétuas à tua direita”. É na presença do Pai que seremos completamente felizes, e apenas unidos a Ele seremos completos. “Pois o Reino de Deus não é de comida nem de bebida, mas de justiça, paz e alegria no Espírito Santo” (Rm 14, 17). Apenas em conhecer a Deus é que gozaremos de uma alegria genuína. Uma felicidade completa.

Ao esperar que um cônjuge ou um casamento lhes proporcione a felicidade que tanto buscam, as pessoas acabam por levar toda a sua infelicidade para dentro do matrimônio. Despejam suas frustrações sobre seus (suas) companheiros (as) e exigem que eles (elas) as satisfaçam, sob pena de “desmanchar o negócio” e recorrer a uma “opção melhor” (leia-se: alguém mais qualificado para satisfazer seus apetites e suas carências). Elas constroem paredes que as separam da essência do outro, desperdiçando todas as suas energias em criticar e contabilizar suas próprias desilusões.

Estas pessoas jamais conhecerão o privilégio do casamento: Revelar o Amor de Deus em seu amor pelo cônjuge, pois tudo o que buscam tem por objetivo final seus próprios interesses. Não se ocupam de revelar aos seus companheiros (as) aquilo que Deus confiou a elas, pois estão ocupadas demais com o que poderiam estar recebendo. Não entendem do que Jesus estava falando quando disse que “mais bem aventurada coisa é dar do que receber” (At 20, 35).

Amado, sua felicidade não está no seu casamento. Ela está em Deus. Não é seu cônjuge quem te fará feliz. É Cristo que te fará feliz. Só nEle você será completo. O casamento é o instrumento através do qual você vai revelar ao seu cônjuge e ao mundo como Deus ama. É o veículo de revelação da natureza doadora do Amor de Deus. É através do seu casamento que você vai tornar visível a realidade invisível do genuíno Amor.

Não espere que seu casamento o torne feliz. É VOCÊ quem tem a prerrogativa de tornar seu casamento feliz! Pense nisso...

Em testemunho da Verdade
--Danilo.

3 comentários:

Amanda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Amanda disse...

Meu bem, benção este estudo! E mais benção quem consegue entedê-lo de todo o coração! Para mim ter você do meu lado, como namorado e futuro marido, é um presente de Deus! Você me ensina cada dia mais como é ter uma vida com Deus!!! Te amo!!! Beijão

Thaís disse...

Excelente palavra Danilo. A motivacão do casamento não é buscar a felicidade pra si e sim fazer o outro feliz atravez do amor incondicional que o Pai nos ensina.
Beijao pra vc e pra Amandita.

Postar um comentário